Desabafo

Eu prometi pra mim mesma nunca mais escrever; Nuca mais deixar transparecer nada daquilo que sinto, mas cheguei á conclusão de que, se eu não me permitir isso eu automaticamente estarei apresando a minha morte.
É como se fosse um grito de alívio, um grito que somente eu sou capaz de ouvir e entender, um grito que não atrapalha e nem chama a atenção de ninguém; Um grito só meu e para mim.

Transcrever aquilo que sinto é uma tarefa árdua, dolorosa demais, mas é algo que aprendi a conviver; Aprendi de tal forma que o ato de não escrever tornou tudo mais difícil de suportar.

As dores de cabeça são constantes e nem mesmo os médicos são capazes de dizer o motivo de tanta dor; Mas eu não preciso que eles me digam, eu sei perfeitamente o porquê, e o porquê se tornou constante.

Neste período muitas coisas mudaram e aconteceram; E como de praxe pessoas que eu me importava tanto, sem mais nem menos me deixaram; Sem se importarem com o que ficava partiram da minha vida e novamente deixaram uma grande lacuna e um enorme ponto de interrogação.

Dizem que Deus não nos da o fardo maior do que possamos suportar, mas chegam certos momentos que eu simplesmente caio, e é nesses momentos que pergunto se ele se esqueceu que não sou tão forte assim e que não agüento pesos demais.

“A feriada ainda esta em aberto”


6 comentários:

Neiva Poeta disse...

Escrever é ótimo para organizar as idéias..
A palavra escrita, você pode ler e reler, se mudar de opinião, é mais fácil reparar, justificar, já a palavra falada, gera emoção, seja ela qual for. E para desfazer o dito é quase impossível.
A escrita deve gerar esperança e conhecimento.

Se o fardo está pesado demais, é hora de dividir com alguém que você confie!
Se as pessoas que estão com você não querem dividir o que é bom e também o que é ruim, então elas não merecem sua companhia, e também é hora de você se valorizar, e honrar quem realmente Merece!

;)

Shirley disse...

Que bom que você voltou a postar, estava sentindo falta. *--*'
Ficou lindo!!!

Tati disse...

Day, existem muitas coisas na vida que não se tem explicação, apenas sabemos que elas tem que acontecer e pronto. E lá na frente percebemos que o que aconteceu deveria ter acontecido exatamente naquele momento.

Existem situações que precisam acontecer.

Poetisa (Helena) disse...

Que dolorido de se dizer...
(Perdão por ter demorado tanto a comentar. É que mal tenho tido tempo para postar...)
Que a escrita te ajude e a vida te sorria...

Gabriel B. disse...

To seguindo.
Se quiser, da uma olhada no meu;
http://darkvermilion.blogspot.com/

Poetisa (Helena) disse...

Oi!
Só passando para me desculpar pela escassez de postagens em Agosto no meu blog, o Escrevo para Viver.
É que a faculdade e o trabalho têm tomado todo o meu tempo e ficou complicado postar.
Mas agora estou de volta e vou me esforçar para manter atualizado.
Te convido a dar uma passadinha por lá e ler a primeira postagem deste mês (Na cadeira do juiz): http://escrevoparaviver.blogspot.com/2011/09/na-cadeira-do-juiz.html
Caso puder, deixe seu comentário ^^
Abraços virtuais,
Helena.

Enviar um comentário


up